O projecto Viver Payva D’Ouro, da Câmara Municipal de Castelo de Paiva, é um daqueles que nos deu imenso prazer em elaborar, quer pelas características do mesmo, quer pelo impacto que pode ter na atratividade turística do concelho e na qualidade de vida das pessoas. Conheça-o melhor.

 

O território de Castelo de Paiva

Situado a cerca de 50 km da cidade do Porto, o concelho de Castelo de Paiva situa-se no extremo Norte do distrito de Aveiro, no território do Douro Verde.

O concelho dispõe de vastos e valiosos recursos naturais e um elevadíssimo potencial de turismo de natureza estimulado pelo seu território de rios e vales, com um clima de transição entre o Atlântico e o Mediterrânico e excelentes condições para a produção agrícola, nomeadamente de vinhos verdes únicos, de renome internacional.

A morfologia do seu terreno, modelada pelos anos, é vincada pelos vales do Rio Douro e Rio Paiva, ambos com um incalculável valor paisagístico, cultural, turístico e natural. A topografia acidentada do concelho desenha cumeadas com vistas amplas e desafogadas, marcadas por pontos de interesse turístico, cultural e religioso como é o caso do alto de S. Domingos e o alto de Sto. Adrião.

Conhecer Castelo de Paiva é perceber um território único, é provar os vinhos da região, descer aos rios e subir às serras, deixar-se levar pelas colinas verdejantes e apaixonar-se pelas águas do Douro e do Paiva. É viver um património natural e cultural único, viver o legado mineiro e conhecer os fósseis milenares, provar a gastronomia local única e conhecer as gentes que fazem deste concelho um local único no nosso país. Conhecer Castelo de Paiva é Viver o Payva D’Ouro.

 

Viver Payva D’Ouro e a valorização do Douro Verde

passadiço Projecto Viver Payva D'Ouro

Viver Payva D’Ouro é um projecto que a Câmara Municipal de Castelo de Paiva pretende implementar nos anos vindouros, com vista à promoção do território e do turismo sustentável, focada nos valores naturais e culturais da região. Um projecto arrojado que poderá trazer ao concelho a dimensão que sempre mereceu na sua componente turística.

Além da recuperação de algumas zonas ribeirinhas, o projecto prevê a implementação de uma rede de percursos pedestres que irão abranger as principais temáticas do concelho no que diz respeito à cultura, património e natureza: o legado mineiro e dos fósseis, o rio Paiva, o Rio Douro, a produção do vinho verde e a paisagem das serras.

Mais do que trazer visitantes aos percursos, o projecto pretende introduzir a vida do concelho nas experiências dos utentes, de forma a que o acto de percorrer cada percurso seja uma experiência única, que deixa o visitante mais conhecedor do património natural e cultural. Além da experiência de visitação, pretende-se criar uma relação pessoal e profunda entre o território e quem o vem conhecer. Entende-se que apenas através da criação desta relação o visitante poderá envolver-se com a paisagem, sendo garantida a sua volta num futuro próximo. Fonte Camara Municipal de Castelo de Paiva

Poderia ir-se mais além dizendo que após a implementação da rede de percursos, juntamente com a recuperação do cais de Midões, Boure e restantes investimentos decorridos ao longo do Douro Verde nos últimos anos, a região irá beneficiar grandemente com o projecto pelo aumento da visitação e das dinâmicas que se esperam ver acontecer com a chegada de novos turistas. Espera-se que desta forma o Douro Verde beneficie grandemente com a capacidade de fixar turistas que por norma viajam entre o Douro Vinhateiro e o Porto, perdendo a oportunidade de conhecer a região intermédia do Douro, com tanto para oferecer.

 

O projecto Viver o Douro

Projecto Viver Payva D'Ouro

Com financiamento recentemente aprovado, o percurso Viver o Douro conta com cerca de 15 km de extensão nesta primeira fase de execução. Esta extensão será realizada maioritariamente ao longo de caminhos existentes, que outrora serviram propósitos de vigilância dos rios ou travessias entre as aldeias do Douro, prevendo-se pontualmente a colocação de miradouros temáticos, pontões, e um pequenos passadiços em áreas onde a circulação se mostre impossível de outra forma.

O percurso temático é inspirado na tradição vinhateira do Douro, nomeadamente no barco rabelo, que transportava os vinhos do Porto desde o Alto Douro Vinhateiro até às caves localizadas na foz do Douro. Incluirá passagem nas aldeias de Midões e Gondarém, com exemplares da arquitectura vernacular característica da região, e contará com um conjunto de sinalética que permitirá aos visitantes uma orientação fácil, com informação acerca dos principais elementos de património natural e cultural.

 

A APROplan desenvolveu o projecto Viver o Payva D’Ouro desde o Estudo Prévio ao Projecto de Execução. Tem alguma ideia ou projecto que gostasse de ver desenvolvido na sua região? Contacte-nos e saiba a melhor forma de o fazer acontecer.